quinta-feira, 11 de julho de 2019

"A manipulação preenchendo comportamentos"

A manipulação da sociedade pelo controle dos meios tecnológicos não é algo tão atual como se costuma pensar. Desde a Revolução Industrial, durante o processo de globalização, em que houve um avanço na tecnologia, os usuários começaram a ser doutrinados pelo meio, visto que os dados controlavam as vidas alheias. Sendo assim, essa problemática persiste no Brasil por conta do déficit educacional e das falhas nas políticas públicas.

De acordo com a teoria da tábula rasa, de John Locke, o homem nasce como uma folha em branco – uma tábula rasa – e, ao longo de sua vida vai escrevendo sua história de acordo com suas vivências. Logo, suas experiências definem quem ele é. Sendo assim, a sociedade brasileira sofre com um déficit educacional, tendo em visto que não há investimentos suficientes na educação, o que gera um ensino público fraco, levando os jovens e as crianças a não construírem senso e não crítico e não entenderem o risco da internet e como a manipulação está presente.

Outrossim, a Declaração Universal dos Direitos Humanos preza pelo direito civil, visto que sua elaboração foi baseada no combate das tenebrosas guerras civis, atos de violência e desrespeito. Buscando alcançar a utopia de um mundo melhor, todavia, com as falhas das políticas públicas que não elaboram campanhas de conscientização para a sociedade, essa declaração não cumpre seu dever por não ser reconhecida, não sendo satisfatória na construção do sigilo de dados na internet, que seria uma forma de respeito ao cidadão.

Portanto, para solucionar esse impasse, o Governo deve elaborar campanhas e projetos com qualidade, de modo que a população se conscientize e não mude o seu comportamento perante o controle de dados na internet. Outro importante aspecto são os ajustes nos ensinos médio e fundamental, pois como dizia Kant: “O homem é aquilo que a educação faz dele”. Logo, cabe ao MEC efetuar melhorias no sistema educacional, com aumento salarial dos professores e mudanças no material escolar, a fim de gerar senso crítico nas crianças que por isso não se influenciariam ou seriam manipulados.



Lorena Dias

3ª série - Ensino Médio

Texto redigido sob orientação da Professora Drª Priscila Toneli

quinta-feira, 4 de julho de 2019

"O mal do algorítimo"

Com a 3ª Revolução Industrial, mais conhecida como Revolução Técnico-Científica, o uso de tecnologias começou a crescer exponencialmente, assim como o número de usuários da Internet, que possui um mecanismo denominado algoritmo, capaz de analisar o que o usuário gosta ou procura, mandando-o para lugares reconhecíveis, Atualmente, entretanto, esse mecanismo vem causando uma grande problemática, uma vez que a população brasileira não consegue analisar o que chega de informações, seja por uma falta de senso crítico por parte da sociedade, seja por uma má gestão governamental.

É indubitável o fato que a falta de senso crítico facilita a manipulação do usuário no meio virtual,. Segundo Immanuel Kant, “O ser humano é aquilo que a educação faz dele”, então se o ser humano não foi educado a distinguir entre o que é real e o que é meramente comercial, ou seja, entre o que ele quer e o que é melhor para ele, ele vai ser manipulado pelos dados da Internet. Sendo assim, é necessário que a população amplie e melhore seu senso crítico a fim de evitar cair em ilusões virtuais.

Ademais, é impossível negar que o Governo possui um papel importante na filtragem de informações virtuais. Como John Locke afirma, o ser humano ao nascer é como uma folha em branco, e, conforme vai vivendo, preenche-a com suas experiências. Assim também funciona a vida na Internet, conforme o usuário vai recebendo informações, ele vai preenchendo sua folha com essas, sejam elas manipulatórias ou não. Portanto, cabem ao Governo a filtragem e fiscalização dessas informações, permitindo assim com que o usuário preencha sua folha virtual com informações não influenciadas. 

Assim, para que o comportamento do usuário não seja mais manipulado pelos algoritmos, é necessário que o Governo atue de forma a controlar o que deve ser eliminado ou não das vias virtuais, e que o Ministério da Educação crie campanhas para conscientizar a população dos efeitos negativos do controle de dados de Internet. Com isso, a gestão governamental deverá melhorar, assim como o senso crítico populacional, fazendo com que a população brasileira consiga analisar o que chega de informações em sua vida virtual.





Letícia Rafaela Perez Batista

3ª série - Ensino Médio

Texto redigido sob orientação da Professora Drª. Priscila Toneli

quinta-feira, 27 de junho de 2019

"Dados, criticidade e manipulação"

De acordo com o filósofo estadunidense Ralph Emerson, um problema sem solução é decorrente de ser mal colocado. Em vista disso, ao analisar a problemática da manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados da internet, observa-se que existem fatores a serem colocados para que este impasse seja solucionado, assim como cita o autor. Dentre estes fatores tem-se a falta de senso crítico da população, que somada à inexistência de leis que punam a manipulação de usuários na internet, resultam em um agravante problema.

Em primeira análise, cabe ressaltar que a falta de senso crítico da população, consequência da falha no sistema educacional brasileiro, constitui um desafio para redução da manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados da internet. Isso ocorre, haja vista a incapacidade dos cidadãos de analisar criticamente as informações encontradas nas redes sociais. Assim, se tornam alvo de qualquer informação filtrada pelo sistema de busca, que desse modo, molda a maneira de pensar do cidadão, dando a ele uma ilusão de liberdade de escolha.

Em segunda análise, tem-se o pensamento do filósofo Thomas Hobbes, o qual propôs que o ser humano é, sem seu estado de natureza, essencialmente mau. Em vista disso, para o filósofo, deve haver uma sociedade organizada de forma que existam leis que reduzam os conflitos causados pelo homem, Nesse sentido, ao analisar a problemática da manipulação do comportamento de usuários pelo controle de dados da internet, sabe-se que não há uma lei que a impeça. Desse modo, faz-se necessária a criação de uma lei pelo Governo Federal, para que reduza problemática e a sociedade organizada proposta por Hobbes seja formada.

Em vista desse cenário, conclui-se que medidas são necessárias para resolver o impasse. Por conseguinte, cabe ressaltar a frase do filósofo Kant: “O ser humano é o que a educação faz dele.” Dessa forma, o melhor caminho para solucionar o problema é a educação. Para isso, o Governo , instituição responsável por resolver os problemas do país, deve promover campanhas de conscientização, tornando obrigatória nas escolas a ocorrência de aulas e palestrar que estimulam a criação de senso crítico por parte dos alunos, com a finalidade de reduzir os índices de manipulação do comportamento de usuário pelo controle de dados da internet.





Isabela Cristina Oliveira

3ª série - Ensino Médio

Texto redigido sob orientação da Professora Drª. Priscila Toneli

quinta-feira, 13 de junho de 2019

"A relevância do atendimento humanizado na saúde"

Segundo o médico Drauzio Varella, “O exercício da medicina envolve a arte de ouvir as pessoas, de observá-las, de examiná-las, interpretar - lhes as palavras e de discutir com elas as opções mais adequadas.” A partir da assertiva mencionada, entra em pauta a importância do atendimento humanizado nos centros de saúde nacionais, uma vez que a melhora física de uma paciente também depende do seu psicológico. Assim, pode-se ver afirmar que a humanização do atendimento de saúde no Brasil é de extrema importância, porém não ocorre efetivamente devido a negligência dos cursos da área de saúde e a falha na gestão pública.

É indubitável que há uma brecha no ensino superior pertinente à problemática. Atualmente, a maioria dos cursos da área da saúde não oferece instrução a respeito de um diálogo além dos termos médicos com o paciente, procurando ouvir o que esse tem a dizer. Isso pode fazer do diagnóstico um ato mecanizado, o que afeta na compreensão do enfermo. Nessa conjuntura, segundo o filósofo Immanuel Kant, “A educação é aquilo que o homem faz dele”, sendo que se a educação não cumpre o seu papel, não há a formação de bons profissionais, Logo, é necessário um reforço no campo educacional.

Ademais, a ineficiência governamental também se constitui como um obstáculo. Isso porque, apesar de já existir uma Política Nacional de Humanização, a “PNH”, que visa implantar um modelo de atenção ao paciente com atendimento acolhedor, tal não é efetivamente realizado. Muito disso se deve à falta de verbas destinadas ao treinamento de profissionais para uma readequação. Esse fato se configura como uma quebra do contato social proposto por Hobbes, pois o Estado não cumpre sua função de zelar pelo bem-estar da população. Assim, a mobilização estatal se torna imprescindível.

Portanto, é papel das universidades, responsáveis pela formação de profissionais capacitados, de reforçar o ensino das práticas de atendimento, por meio da implementação da grade curricular da área da saúde. A adição de disciplinas que estimulem o relacionamento interpessoal é vital para que os médicos compreendam o paciente efetivamente, Ainda, o Governo, órgão incumbido de manter o bem-estar da população, deve atuar no fortalecimento da Política Nacional de Humanização, destinando verbas para o preparo dos profissionais já atuantes, visando um melhor atendimento nos centros de saúde. Só assim o exercício da medicina será eficaz conforme as ideias de Drauzio Varella.





Júlia Alves de Souza Moreira

3ª série - Ensino Médio

Texto redigido sob orientação da Professora Drª. Priscila Toneli

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Poema Junino - Festança no CNSD



Mais uma vez, a arte fez festa
E foram tantas e tantas mãos
Trabalhando para enfeitar o Dorão
E no dia foi só emoção
Parabéns à equipe de ornamentação

A equipe da limpeza deixou
Os espaços num brilho só
Que capricho que encanto
A vocês, parabéns pelo empenho

Para encantar as crianças
muitos brinquedos em ação
Na pescaria uma vara na mão
só tremedeira, só ansiedade
E logo vinha o peixe preso no anzol
O bom mesmo era a prenda surpresa
É claro que as professoras e auxiliares
Estavam lindas e poderosas e sorridentes
Trabalharam tanto, tanto, tanto e tanto
Que até as prendas acabaram
A vocês, o nosso agradecimento
Por tamanha dedicação

Oh e nas danças as crianças se movimentaram
Entre laços e fitas e chapéus era só um bailado
Muita alegria muita emoção e muita festa
Crianças e adolescentes, parabéns pela beleza
De cada movimento, de cada bailado

Parabéns a vocês, professores e professoras
que ensaiaram com entusiasmo e dedicação
vocês fizeram a festa mais bonita
Nossa gratidão eterna por mais esta
Festa Junina cheia de alegria por todo lado

Nas barracas, o atendimento era rápido
E acolhedor com cuidado e movimentação
A vocês, o nosso carinho pela dedicação
Vocês fizeram uma festa cheia de amor

Nos caixas, a compenetração e o respeito
Fizeram a diferença na entrega das fichas
Parabéns a toda equipe pelo trabalho

Nos bastidores uma equipe trabalhava
Com carinho, com sorrisos distribuídos
A vocês também obrigada e obrigado

E os pais então oh que prazer sentiam
Ao ver suas crianças tão lindas
Dançando com leveza e alegria
Nosso obrigado pelo apoio e colaboração
Famílias parceiras fizeram a festa do Dorão

À equipe animadora, a gratidão
O entusiasmo se fez contagiante
À equipe das mídias, parabéns
Movimentaram-se com tanta rapidez
E a eficiência se fez em muitos clicks
E surgiam nas mídias num segundo só
As curtidas e os comentários tantos
Parabéns a todos pela festança!

Autora: Coordenadora Pedagógica Eliana Prata


terça-feira, 11 de junho de 2019

Mural "Festa Junina"

Para decorar o mural, no mês de junho, as crianças do 2º ano "D" Ensino Fundamental Anos Inicias do Colégio Nossa Senhora das Dores produziram cartazes criativos para incentivar todos os alunos a compareceram à Festa Junina CNSD que ocorrerá neste sábado, dia 08.



As crianças ressaltaram o que mais gostam na comemoração e, além de desenhos e frases representativas, a turma produziu uma "quadrinha coletiva" com o tema de Festa Junina, aproveitando o gênero textual trabalhado como conteúdo do 2º bimestre.